A ASCENSÃO DE JESUS AO CÉU.

ascensão

A ASCENSÃO DE JESUS AO CÉU.

            Segundo as visões de Anna Catharina Emmerich:

            O Senhor despede-se dos seus.

            Na véspera da ascensão veio Jesus, com cinco discípulos à casa de Lázaro, em Betânia, onde se encontraram com Maria e as outras santas mulheres. Muito povo se reuniu em redor da casa, para ver mais uma vez Jesus e despedir-se dEle. O Divino Mestre apareceu à gente de fora, benzeu e distribuiu-lhes muitos pãezinhos; depois se afastaram.

         Na casa tomou Jesus, em pé, um refresco com os discípulos, que choravam amargamente, porque ia deixá-los. Ele, porém, disse: “Por quê chorais, queridos irmãos? Vede esta mulher, que não chora”. Dizendo-o, apontou para a Mãe Santíssima.

         Jesus despediu-se mais intimamente de Lázaro. Deu-lhe do pão bento a comer, abençoou-o e apertou-lhe a mão.

         Depois se encaminharam todos, com exceção de Lázaro, que morava escondido em casa, para Jerusalém, onde Nicodemos e José de Arimatéia prepararam uma refeição.

         “Vi Jesus, com os Apóstolos, andando por vários caminhos, em redor do Monte das Oliveiras; os outros grupos O seguiam. Às vezes parava Jesus, para lhes explicar alguma coisa. Todos estavam em grande angústia, alguns choravam; outros estavam muito abatidos. Vi um deles pensando: “Quando Ele for embora, quem será o mestre? E como se cumprirá tudo o que foi prometido a respeito do Messias?”

         Pedro e João parecia-me mais calmos e compreendendo tudo melhor. Muitas vezes faziam perguntas ao Senhor e Ele parava, explicando-lhes muitas coisas. Assim andaram até à noite. O Senhor parava freqüentemente, estava muito sério, ao ensinar-lhes, às vezes desaparecia repentinamente. Então ficavam muito assustados, mas de repente lhes voltava de novo. Era como se quisesse prepará-los para a próxima separação. Vi-os andando por belas campinas, por caminhos agradáveis e debaixo de árvores. O sol brilhava lindamente à tarde.

         Quando Jesus e os Apóstolos se aproximaram da casa do banquete, já o sol se tinha posto. Maria, Nicodemos e José de Arimatéia vieram-Lhe ao encontro em frente à casa. Jesus entrou ao lado de sua Mãe. As outras mulheres vieram mais tarde. Depois de lhes haver dito algumas palavras e de terem chegado os outros discípulos, Jesus entrou na grande sala do banquete. Benzeu o peixe, o pão e as verduras e ofereceu a todos; cada um recebeu um bocado.

         Durante o banquete, Jesus não deixou de ensinar-lhes, com palavras muito sérias. Vi as palavras saírem-lhe da boca como raios de luz e entrarem na boca dos Apóstolos, num mais depressa, noutro mais vagarosamente, conforme o grau de desejo ou sede de doutrina de Jesus.

         No fim da refeição Jesus benzeu também um cálice de vinho, bebeu e ofereceu-o aos outros e todos beberam. Mas não foi o Santíssimo Sacramento.

         Depois dos discípulos se terem levantado do ágape (refeição), reuniram-se os outros, que comeram nas salas laterais, debaixo das árvores, em frente à grande sala; vi Jesus aproximar-se-lhes, ensinar-lhes por muito tempo e abençoá-los; depois se afastaram.

         Vi então as outras mulheres, que nesse meio tempo tinham chegado, entrarem no jardim, debaixo das árvores. A Santíssima Virgem estava com elas. Jesus aproximou-se-lhes e deu a mão a sua Mãe. Falou-lhes muito sério. Todas estavam muito comovidas e senti que Madalena desejava veemente abraçar os pés do Senhor. Tendo-lhes falado assim por algum tempo e depois de as haver abençoado, deixou-as Jesus. Choraram muito, mas silenciosamente, abafando a dor; a Santíssima Virgem, porém, não a vi chorar, nessa ocasião.

         Ao aproximar-se a meia noite, saiu Jesus com os Apóstolos, tomando o caminho pelo qual viera à cidade no domingo de Ramos. Maria seguiu depois dos Apóstolos e após ela, um grupo de discípulos. Muita gente se lhes aproximou no caminho e o Senhor falou-lhes.

         “Em companhia dos onze apóstolos, cerca de trinta discípulos, a Santíssima Virgem e algumas mulheres, dirigiram-se ao Cenáculo.

         Só Jesus, os onze e Maria penetraram na sala interior; os discípulos entraram nas salas laterais, onde havia bancos de dormir, não sei se dormiram ou rezaram. As companheiras de Maria ficaram no vestíbulo. Foi preparada a mesa da última Ceia e aceso o candeeiro. Havia na mesa apenas um pão ázimo e um pequeno cálice. Os Apóstolos revestiram-se das vestes de cerimônia e Pedro pôs a veste própria de sua dignidade. A Santíssima Virgem sentou-se em frente ao Senhor. Vi Jesus fazer o mesmo que fizera na última ceia: marcar o pão, oferecê-lo a Deus, partir, benzer e dá-lo aos discípulos; depois beberam também do cálice, sem que o enchessem de novo. Vi o Santíssimo Sacramento brilhando, ao pronunciar Jesus as palavras, penetrar como um pequeno corpo luminoso na boca dos Apóstolos. Na consagração do cálice, se lhe derramou a palavra sacramental no cálice como um rubro fulgor de sangue. Madalena, Marta e Maria Cleofé já tinham recebido o SS. Sacramento nos últimos dias.

         No começo da noite fizeram a oração e cantaram com mais solenidade do que comumente, à luz do candeeiro. Jesus deu mais uma vez a Pedro poder sobre os outros. Impôs-lhe mais uma vez o manto, repetindo o que dissera, ao aparecer-lhes na praia do lago Tibérias e no cume da montanha. Ensinou ainda sobre o batismo e a bênção da água. – durante a oração e a doutrina, já pela manhã, vi ainda cerca de dezessete discípulos, dos mais íntimos de Jesus, atrás da SS. Virgem, na sala do Cenáculo.

         Antes de saírem de casa, o Senhor apresentou-lhes a Santíssima Virgem como centro e intercessora dos fiéis. Pedro e os outros inclinaram-se diante dela; Maria, porém, abençoou-os.

         No momento em que isso se deu, vi Maria revestida, de um modo sobrenatural, de um grande manto, de cor azul celeste, colocada sobre um trono, tendo na cabeça uma coroa. Era um símbolo de sua dignidade”.

            Jesus sobe ao céu

            Ao amanhecer do dia, saiu o Senhor do Cenáculo, conduzindo os onze Apóstolos pelas ruas de Jerusalém, por todo o caminho da Paixão. Seguiram-nos Maria e um grupo de discípulos. Onde se dera uma cena da Paixão, demorava-se alguns momentos, explicando-lhes a significação do lugar ou um trecho dos profetas referente a isso. Onde, porém, os judeus tinham obstruído o lugar, para impedir a veneração dos fieis, mandou Jesus tirar esses obstáculos.

         Assim saíram da cidade e vieram a um jardim ou lugar de oração, onde se sentaram à sombra das árvores e Jesus ensinou e consolou-os. Como no entanto começava a amanhecer, tornaram-se-lhes os corações um pouco mais alegres, na esperança de que Jesus ainda ficasse com eles.

         Aproximaram-se então muitas turbas de povo. Jesus continuou o caminho para o monte Calvário e dali para o Monte das Oliveiras, onde se sentou novamente num jardim, falando ainda muito tempo com os discípulos, como para terminar a sua obra.

         Já estava reunida numerosa multidão em redor de Jesus e por toda a redondeza; em Jerusalém correu o boato do grande concurso de povo no Monte das Oliveiras, ao qual se juntaram novos grupos da cidade.

         Então se dirigiu o divino Salvador do Horto de Getsêmani e subiu o Monte das Oliveiras.

         “A multidão caminhava como em procissão, subindo o monte pelos diversos caminhos, de todos os lados e muitos grupos passavam pelas moitas, pelas sebes e cercas.

         O Senhor, porém, tornava-se cada vez mais resplandecente e ligeiro. Os discípulos seguiam-no, mas não mais podiam alcançá-Lo. Tendo o Senhor chegado ao cume do monte, brilhava como a luz branca do sol. Do céu, porém, desceu sobre Ele um circulo luminoso, que brilhava com todas as cores do arco-íris. Todos os que O seguiram, ficaram parados, em vasto círculo, como que ofuscados. O Senhor brilhava ainda mais do que o esplendor que o cercava. Pousando a mão esquerda sobre o peito, abençoou com a direita elevada todo o mundo, virando-se para todos os lados. A multidão ficou imóvel, vi que todos foram abençoados. Jesus não abençoava como os rabinos, com a mão aberta para a frente, mas como os bispos cristãos. Senti com grande felicidade esse benção sobre todo o mundo.

         Então se lhe uniu o próprio esplendor à luz do alto e notei que se tornava invisível, a partir da cabeça, dissolvendo-se-lhe a figura na luz celeste e desaparecia como que subindo. Era como se um sol entrasse no outro ou como uma chama entrando numa luz ou uma centelha numa chama. Era como se se fitasse o sol radioso do meio-dia e ainda mais branco e claro; o pleno dia parecia escuro, em comparação com aquela luz. Quando já não se Lhe via mais a cabeça, ainda se podia distinguir-Lhe os pés resplandecentes, até que desapareceu inteiramente, no esplendor do céu. Inúmeras almas vieram de todos os lados, entrando nessa luz e desapareceram no céu com o Senhor. Não posso dizer que O vi tornar-se cada vez mais pequeno, como algo que voa no ar; mas vi-O desaparecer numa nuvem de luz.

         Ao aparecer a nuvem luminosa, caiu, por assim dizer, um orvalho de luz sobre todos e não podendo mais suportar essa luz, ficaram todos cheios de espanto e admiração. Os Apóstolos e discípulos achavam-se mais perto de Jesus; estavam em parte deslumbrados e olhavam para baixo; muitos se prostraram por terra. A santíssima Virgem estava logo atrás dos Apóstolos, olhando tranqüilamente para a frente.

         Após alguns momentos, quando o esplendor diminuiu um pouco, toda a assembléia, no maior silêncio e nas mais intensas emoções da alma, olhou para a luz do alto, que ainda ficou por algum tempo. Nessa luz vi descer duas figuras, no começo pequenas, crescendo cada vez mais e aparecer, com vestes longas e brancas e um bastão na mão, como profetas, falando à multidão; as vozes soavam alto e forte, como a de trombetas e parecia-me que as deviam ouvir em Jerusalém. Não se movimentam, mas estavam inteiramente imóveis, ao dizer as poucas palavras: “Homens da Galiléia, que estais aí olhando para o céu? Esse Jesus que acaba de vos ser arrebatado, para subir ao céu, voltará como o vistes subir ao céu”. Tendo dito essas palavras, desaparecerem.

         O esplendor, porém, ficou ainda por algum tempo, até que afinal se desfez, como do dia se passa à noite. Os discípulos estavam fora de si, sabiam agora o que lhes tinha sucedido: O Senhor tinha ido embora para o Pai Celestial. Muitos caíram por terra de dor e atordoamento. Enquanto desaparecia o esplendor, recobraram ânimo e ergueram-se, cercados pelos outros. Muitos formaram grupos, as mulheres aproximaram-se também e assim se demoraram ainda, olhando para o céu, pensando e falando sobre o sucedido; depois voltaram os discípulos a Jerusalém, seguidos pelas mulheres. Alguns dos mais simples choravam como crianças, outros se conservavam recolhidos e pensativos. A Santíssima Virgem, Pedro e João estavam muito tranqüilos e consolados. Vi, porém, também muitos outros que não estavam comovidos, mas descrentes e duvidosos e que apartaram dos outros e se afastaram; pouco a pouco se dispersou toda a multidão.

         No lugar onde Jesus subiu ao céu, havia uma grande laje, sobre a qual o Divino Mestre estava ensinado ainda, antes de dar a bênção e desaparecer nas nuvens luminosa. As pegadas do Senhor ficaram impressas na pedra e numa outra se imprimiu uma das mãos da Santíssima Virgem.

         Meio dia já tinha passado, quando toda a multidão acabou de dispersar-se. Os discípulos e a Santíssima Virgem dirigiram-se ao Cenáculo. Sentindo a princípio a separação de Jesus, estavam inquietos e julgavam-se abandonados. Quando, porém, se acharam reunidos no Cenáculo, encheram-se todos de consolação, principalmente pela presença calma da Santíssima Virgem no meio deles e, confiando inteiramente na palavra de Jesus, de que Maria lhes seria o centro, a Mãe e intercessora, recuperaram a paz de coração.

Fonte: http://www.derradeirasgracas.com/2.%20Segunda%20Página/Anna%20Catharina%20Emmerich/A%20Assunção%20de%20Jesus%20ao%20Céu..htm

About these ads

8 respostas para A ASCENSÃO DE JESUS AO CÉU.

  1. Antônio Jésus de Souza disse:

    Hoje feriado de 07 de setembro, como gosto de pesquizar imagens encontrei esta da ascenção do Senhor, e descobri este escrito segundo a visão de Anna Catharina Emmerich e sei que não é conincidência e sim providência, e o que mais me atraiu foi a ligação de Jesus com sua Mãe Maria Santíssima. Isto é muito lindo , como é linda a religião Católica, eu a amo.

  2. eu também amo a minha religião Católica disse:

    Maravilhosa reflexão.
    Este momento deve ter sido Maravilhoso.

  3. Velsoni Pereira Selle disse:

    Na verdade, tudo o que se refere a Jesus é maravilhoso e quanto mais você se informa a respeito, mais você O admira e quer estar mais perto Dele, o grande Mestre e Guia da humanidade. Ele vem para nos levar a Deus, para voltarmos de onde realmente nos originamos.
    O maior cuidado que devemos ter, é o de não cair e tomarmos outro caminho, que é virar as costas para nosso Pai.
    Aproveitemos tudo o que Jesus nos deixou.

  4. Miguel Ribeiro Pieczykolan disse:

    Eis que estes escritos, assim como o meu atravessará os séculos, cheio do Espirito Santo invocado pela minha interssora Virgem Santissima; Nossa Senhora das Graças… Que a fé seja o alicerce do ser humano, buscai Deus Pai, Buscai Deus Filho o Cordeiro de Deus que virá em Gloria, em Luz… Onde qualquer homem na face da terra o verá, mesmo não conseguindo o ver de cabeça erguida face aos seus pecados… Mais que pela pureza de coração e devoção em vida a Nosso Senhor Jesus Cristo em ensinamentos e caminhos, vos julgará…Arrebatando-vos para o Paraíso e a Vida Eterna. EM PURÍSSIMA FÉ, ME PROSTO AO REDENTOR, JESUS EU CONFIO EM VÓS POR TODA ETERNIDADE… AMÉM !

  5. nossa muito lindo. mais eu queria ver ele de perto aonde eu procuro aqui uma foto dele no céu?

  6. Lee disse:

    Amém;)

  7. Roberto disse:

    Este Jesus é pedra rejeitada por vós, os construtores, a qual se tornou a pedra angular. E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos. (At 4:11,12)

  8. Maria da Glória disse:

    Pois é. Eu creio em Deus Pai todo poderoso criador de todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio num só Senhor Jesus Cristo. Hoje no Ágape = Tempo de Deus, eu estava procurando uma imagem da Ascensão de Jesus ao Céu e acabei encontrando essa maravilhosa descrição. Me emocionei, em vários momentos.
    Obrigado à essa Irmã que nos transmitiu essa mensagem tão linda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 282 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: