Vídeo para reflexão – ALANIS MORISSETTE Mensagem positiva OFFER mar

novembro 21, 2009

ORANDO COM AS SAGRADAS ESCRITURAS

novembro 21, 2009

Orando com as Sagradas Escrituras
Sabemos que a oração é o que sustenta a nossa vida espiritual e humana, pois é através dela que corremos ao poço para beber a água da vida (Jo 4, 15).

Sobre este ensinamento, o Catecismo da Igreja Católica no diz: “Se conhecesses o dom de Deus!” (Jo 4, 10). A maravilha da oração se revela justamente aí, à beira dos poços aonde vamos procurar nossa água.

É aí que Cristo vem ao encontro de todo ser humano. Ele é o primeiro a nos procurar, e é Ele que pede de beber. Jesus tem sede, seu pedido vem das profundezas do Deus que nos deseja.

A oração, quer saibamos ou não, é o encontro entre a sede de Deus e a nossa (Sto Agostinho).
Deus tem sede de que nós tenhamos sede Dele.” CIC 2564

O magistério nos ensina ainda que a oração é um movimento de Deus para o homem e do homem para Deus (CIC 2564).

Na Bíblia, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, observamos a oração sempre presente, movendo os principais acontecimentos da história da salvação bem como os personagens centrais destes fatos.

Assim, vemos o êxodo acontecendo através dos constantes diálogos entre Deus e Moisés (Ex 3, 1-15; 4, 1-18; 7, 1-7; 14, 1-4; 20, 1-21).

Vemos também todas as ações de Jesus sendo precedidas e sucedidas pela oração (Lc 4, 1-13; Mc 6, 30-44; 11, 5-9; Lc 11, 5-9).

Dessa forma, sabendo que toda a escritura é inspirada por Deus (II Tm 3, 16), aprenderemos a mergulhar na oração através da inspiração que Deus suscitou em cada versículo de sua Palavra.

Quando mergulhamos em oração no coração de Deus através das Sagradas Escrituras, chamamos esse mergulhar de Lectio Divina, ou seja, é a leitura orante da Palavra de Deus.

Na sua origem, a Lectio Divina nada mais era do que a leitura que os cristão faziam da Bíblia para alimentar sua fé, esperança e amor e animar assim sua caminhada.

A Lectio Divina é tão antiga quanto a própria Igreja, que vive da palavra de Deus e dela depende como a água da sua fonte (Constituição Dogmática Dei Verbum 7.10.21)

O Concílio Vaticano II, citando Santo Ambrósio, nos diz: “Lembrem-se, porém, que a leitura da Sagrada Escritura deve ser acompanhada pela oração, a fim de que se estabeleça um colóquio entre Deus e o homem, pois com Ele falamos quando rezamos, e a ele ouvimos quando temos os divinos oráculos.” (Constituição Dogmática Dei Verbum 25)

Para realizarmos esta leitura da Bíblia, precisamos de um ambiente favorável, pureza de coração, desprendimento, docilidade ao Espírito Santo e espírito de oração.

A Lectio Divina se constitui em quatro estapas:

1) Leitura: devemos ler para nos apropriar e familiarizar-nos com a Palavra de Deus;

2) Meditação: partindo do contexto em que foi escrito o texto bíblico, é a atualização para a nossa realidade espiritual e humana. A meditação é a semente da oração, pois através dela sempre mergulhamos em oração.

3) Oração: a atitude de oração está presente desde o começo da “Lectio Divina”. Apesar de tudo ser regado com oração, deve haver um momento especial, próprio para a prece. A oração, provocada pela meditação, inicia-se por uma atitude de admiração silenciosa e adoração ao Senhor. A partir daí brota a nossa resposta à Palavra de Deus.

4) Contemplação: é o ultimo degrau da Lectio Divino. Cada vez, porém, que se chega a ele, este se torna o patamar para o primeiro. Contemplação é a capacidade de perceber a presença de Deus em tudo.

Durante a meditação, cada degrau nos conduz a uma intimidade com Jesus. Podemos escolher qualquer passagem bíblica para irmos ao encontro dele, sendo assim, sinta-se convidado a fazer uma leitura orante.

Sugiro que você medite em uma destas passagens bíblicas: Jesus e a Samaritana (Jo 4 ), o cego de Jericó (Mc 10,46-52 ), o filho pródigo (Lc 15,11-32) ou Marta e Maria (Lc 10,38-42 ). Independente da escolha que faça, você se transportará para o lado de Jesus e aí você dialogará com Ele.

Dentro do contexto da passagem bíblica, sua meditação fará você ter uma experiência sobrenatural em que o próprio Deus lhe falará pessoalmente.

Prof. Glaydson Barros
Prof. da Escola de Formaçã
 
Fonte  http://www.cot.org.br/formacoes.php?action=formacao&id=57