A VIRGEM MARIA A MÃE DE JESUS APARECE PARA MAIS DE 3.000 PESSOAS.

dezembro 26, 2009

A VIRGEM MARIA A MÃE DE JESUS

APARECE PARA MAIS DE 3.000 PESSOAS.

A Virgem Maria Mãe de Jesus, apareceu sobre uma Igreja Ortodoxa Copta de Warra el-Hadar, Grande Cairo, Egito.

Testemunharam o acontecimento mais de 3.000 (cristãos e muçulmanos), moradores do bairro, ocorrido em 11 de dezembro de 2009. Com aparições luminosas da Santíssima Virgem Maria que apareceu sobre as cúpulas da Igreja Ortodoxa Copta, em El-Warraq.

A localidade de Warraq el-Hadar é uma pequena ilha no rio Nilo Cairo, maior (governadoria Giza, parte da Grande Cairo). É um bairro pobre. As luzes que aparecem no céu durante a noite também puderam ser vistas de vários quilômetros de distância da igreja.

As pessoas usaram seus celulares para fazer vídeos das aparições e compartilhá-los via Bluetooth e no YouTube. A silhueta completa da Bem-aventurada Virgem Maria, trazia um vestido branco puríssimo e o manto azul claro, pode ser visto claramente atravessando sobre as cúpulas da Igreja.

As aparições também receberam ampla cobertura da imprensa local em jornais egípcios e canais de televisões árabes. As aparições tiveram início no mês copta do Kiahk (Dezembro 2009), o mês mariano / Natividade no calendário copta. Durante este mês, a Igreja copta faz uma celebração especial à meia-noite em louvor à Virgem Maria e a Encarnação do Verbo.

Declaração do Bispado Ortodoxo de Giza Copta.

No tempo de Sua Santidade o Papa Shenouda III e Dumadius Anba, o arcebispo de Gizé

O Bispado de Gizé, anuncia que a Santíssima Virgem apareceu em uma transfiguração na igreja com o seu nome em al Warraq-Hadar, Giza, na madrugada de sexta, 11 de dezembro de 2009 às 1:00 hs.

A Santa Virgem apareceu em sua altura total de vestes luminosas, acima da média da abóbada da igreja, em vestido branco puro e um cinto azul royal. Ela tinha uma coroa na cabeça, acima do qual surgiu a cruz no topo da cúpula. As cruzes em cima da cúpula da igreja e as torres brilhavam intensamente com a luz.

A Santíssima Virgem circulou entre as cúpulas e sobre a parte superior da porta da igreja entre as suas duas torres gêmeas. Todos os moradores locais testemunharam o fato. A aparição aconteceu das 1:00 às 4:00 da manhã de sexta-feira e foi registrada por câmeras e telefones celulares.

Cerca de 3.000 pessoas do bairro, áreas circundantes, e transeuntes reuniram-se na rua em frente à igreja para ver a aparição.

Desde sexta-feira, as multidões se reuniram nos arredores da igreja tenho visto luminosos pombos brancos que sobem acima da Igreja durante vários momentos da noite, bem como uma estrela que surge de repente no céu, viaja cerca de 200 metros de diâmetro, em seguida, desaparece. As multidões se reuniram em torno da Igreja e não cessam de cantar hinos e louvores à Virgem Santa.

Esta é uma grande bênção para a Igreja e para todo o povo do Egito.

Que sua intercessão e bênção possa beneficiar a todos nós.

Assinado

Anba Teodósio

Bispo-Geral de Gizé

Veja os vídeos da APARIÇÃO.

http://www.youtube.com/watch?v=92SvKR7ZKn4&feature=player_embedded

Anúncios

A Criança que calou o Mundo por 5 Minutos

dezembro 26, 2009

ABRAÃO PAI DA FÉ

dezembro 26, 2009

Abraão Pai da Fé
Quem nunca ouviu falar de Abraão, o pai da fé? Aquele que foi capaz de abandonar o que tinha por causa de Deus.
Não faz sentido dizer conhecer tal homem sem ter lido ou ouvido falar de Gn 12, onde está escrito a vocação dele.
Abraão viveu numa época em que muitos lutavam por terra, o mais valioso bem que um homem poderia ter. Todos os os que tinham um pedaço de terra para morar, cuidar de seus animais era um felizardo e fazia de tudo para mantê-la, se fosse o caso, até lutar, já que esse bem constituía a garantia de sobrevivência para todos os descendentes.
Um dos patriarcas pertence, provavelmente, a uma série de imigrantes, que entre 200 a 1700 a.C invadiram a Síria e Canaã, vindos do deserto sírio-arábico e da Mesopotâmia. Conforme uma tradição, a sua terra foi Haram (Gn 12,4); conforme outra, foi Ur dos Caldeus, cidade essa que estava ligado através de seu pai Taré. Como relata (Ne 9,7; Jt 5,6).
Os caldeus eram povos politeístas, ou seja, adoravam ou aceitavam a existência de mais de um deus, porém não eram ativos na vida de ninguém, e sim, deuses passivos, que só recebia as oferendas, mas não agiam, eram projetados pelo homem. Deuses que nunca prometiam algo, pois não poderiam cumprir, já que não existiam. Porém, Deus (o criador) fez algo que nenhum outro havia feito antes: prometeu uma terra para ele e seus descendentes.
A promessa que Deus fez para ele e seus descendentes parecia atraente, realmente! Deus prometeu uma terra plena para que todas as gerações de Abraão morassem. Para quem não tinha um lugar fixo para morar essa promessa era a melhor que alguém poderia fazer-lhe. E é aí que está o grande mistério de Abraão. Ele tomou a promessa de Deus(o Criador) como uma verdade e se lançou na estrada em busca daquilo que nenhum outro deus havia prometido. Por trás da fé de Abraão estava a confiança e, acima de tudo, a renúncia, pois foi capaz de abandonar aquilo que ele tinha, apesar de pouco, para ir em busca do que “ainda” não possuía. Daí sua fama como pai da fé.
Diferentemente dos projetados pelos homens, o Deus de Abraão era um Deus que quis se revelar ao homem e se deixar conhecer. Abraão notou essa atitude divina e abraçou as provações, as dificuldades que iria enfrentar para obter a terra que mana leite e mel. Esse Deus demonstrou-se ser o único, pelos seus projetos e atitudes. Por mais que Abraão não soubesse que este era o único e verdadeiro Deus, ele sabia que era o maior e o melhor de todos os deuses.
Abraão realmente deu um tiro no escuro num alvo que ele acreditava já ter acertado. A força da renúncia de Abraão está em renunciar terra, casa, família, que era valioso para ele para ir em busca de algo que ainda não tinha, mas que brevemente teria.
Deus em todo momento quis que Abraão tivesse uma terra fértil, pura, maravilhosa, para que ele pudesse habitar junto àqueles que o cercava. Abraão gostaria de uma terra que tivesse todos esses quesitos, porém Deus sabia que a melhor terra era aquela que tivesse Sua mão, mas Deus por Sua Sabedoria quis que ele confiasse e se lançasse em busca dessa terra prometida. Nossa terra prometida, assim como a de Abraão é uma terra celestial.
Ninguém nos força a buscar a Deus, simplesmente buscamos por nossa própria vontade. Ou por acaso alguém colocou uma arma em sua nuca e te obrigou a servi-lo? Assim como fez com Abrão ele faz conosco, nos convida a uma terra que mana leite e mel, a uma terra santa, a uma terra plena, livre de qualquer mácula.
Abraão teve que renunciar tudo que tinha para ir em busca da vontade de Deus. Ele renunciou o que tinha de bom, para obter algo melhor, algo que vinha do próprio Deus. Quantas vezes abandonamos nossa vontade para fazermos a vontade de Deus? Se sua resposta foi “várias vezes”, afirmo-te, ainda não é o suficiente. Devemos renunciar todos os dias, todos os instantes, tudo o que não pertence ao plano de Deus, a fim de obtermos O Melhor, a vida eterna, a Salvação. Basta termos fé, e nos lançarmos no plano salvífico de Deus e suas promessas se realizarão em nossas vidas.
 
 
Glaydson Barros
Professor Escola Bíblica
 
Fonte: http://www.cot.org.br/formacoes.php?action=formacao&id=45