O MUNDO TIROU SUAS ESPERANÇAS, MAS UM ENCONTRO COM JESUS DEVOLVEU-LHE A VIDA.

outubro 31, 2010

O mundo tirou suas esperanças, mas um encontro com Jesus devolveu-lhe a vida

Um testemunho de esperança e vida nova para agradecer a você que é sócio evangelizador e contribui para que a evangelização da Canção Nova seja semente de esperança para muitos.

Quando o mundo já não acreditava mais nele, o jovem Adair – que usou drogas dos doze aos vinte e dois anos -, teve a graça de buscar, dentro de si, a Palavra de Deus semeada no seu coração, fazendo com que ele fosse liberto do submundo das drogas.
.:Ouça o testemunho de conversão de Adair, que se libertou das drogas e hoje contribui com a evangelização da Canção Nova.

“Olá, internautas que acessam o cancaonova.com!

Eu me chamo Adair José Sato Comodo, tenho trinta anos e trabalho aqui na Canção Nova como administrador de Banco de Dados.

É uma história linda da Canção Nova em minha vida. Quando eu tinha doze anos de idade, tive envolvimento com drogas por problemas familiares e coisas que, talvez, você esteja hoje passando na sua casa com seus pais. Talvez você pai e mãe que estejam me assistindo, possam estar passando com seu filho ou sua filha pelo mesmo problema.

Eu era fruto deste meio, mas vim participar de um acampamento aqui na Canção Nova. Envolvido com drogas, eu não tinha diálogo em casa, não dava ouvidos aos meus pais, e era também muito imperativo, dinâmico e agitado. Meus pais eram muito honestos e trabalhadores, mas eu não conseguia ter um diálogo com eles.

Então, fui procurar refúgio em companhias não eficientes, e acabei me envolvendo ainda mais com drogas. Um dia vim parar na Canção Nova, porque eu queria fazer bagunça. Mas, naquele momento, havia um plano de Deus para a minha vida; começava o fruto da eficácia da evangelização, dessa “nova canção” em mim. Comecei a participar e tudo o que iam falando [os pregadores], entrava no meu coração. Eu achava que era tudo “oba-oba”, mas ficaram os frutos no meu coração.

O tempo foi passando e acabei me envolvendo com tóxicos mais pesados. Embora trabalhando, eu não conseguia acompanhar direito os estudos, sempre queria a bagunça e só me vestia de preto. Meus pais ficavam muito angustiados em me ver daquela forma.

À medida em que Deus foi agindo em minha vida, as coisas foram acontecendo. Eu achava que Ele estava se afastando de mim, mas, na verdade, era eu quem me afastava dEle. Eu fui caindo cada vez mais nas drogas; cheguei a usar todos os tipos de entorpecentes, só não usei injetáveis. Até sintético – que na minha época era ácido, mas agora chamam de êxtase -, eu tomei. No entanto, o que mais roubou boa parte da minha juventude até os 22 anos, foi o crack. Isto me fez, até onde me lembro, ficar três dias direto confinado numa construção, fumando crack. O dinheiro que consegui foi produto de um roubo; eu roubei uma pessoa e cometi um ato de violência contra ela.

Quando eu voltei para a minha casa, queria buscar alimento, mas não conseguia. Ali eu vi onde cheguei: ao fim do poço. Ali eu não via mais esperança. Mas a partir daquele momento, lembrei-me de tudo o que aconteceu em minha vida quando eu estive na Canção Nova, querendo bagunçar e fumar maconha. Os frutos da oração da minha mãe – que colaborava com esta obra de Deus, ouvinda a Rádio CN e acreditava que a situação poderia mudar -, mantinham ela firme na esperança, mesmo quando me via drogado e chegando em casa de madrugada. Às vezes, eu nem chegava.

Essa força ela encontrava na Rádio, ouvindo o Monsenhor Jonas Abib e a Luzia Santiago. Mesmo vendo o filho naquele estado, ela parecia estar em paz.

Hoje faz oito anos que estou livre das drogas, passei pela Fazenda da Esperança , onde fiquei internado três meses – embora o processo de internação seja de um ano -, pois Deus tinha planos para a minha vida, assim como Ele tem um plano para a sua vida, para as nossas vidas. Jesus quer salvar você!

Eu não sei qual é a sua situação, não sei o que está acontecendo com você neste momento. Quem sabe você que usa drogas e, por algum motivo, passou na frente do computador ou está navegando na internet procurando por algo e encontrou, neste momento Deus está falando com você. Ele está usando de mim, que estive numa situação de desesperança, para falar com você. Jesus me deu esta esperança, e ela é fruto da Canção Nova, uma obra que é graça de Deus nas nossas vidas.

Você também tem salvação! Ela existe e eu sou resultado dela. Eu sou resultado da ação de Deus em minha vida.

Você que colaborou com a Canção Nova naquela época, saiba eu sou fruto da sua colaboração, das suas orações e doações, que chegaram ao céu e salvaram a minha vida.

Hoje, eu trabalho aqui na Canção Nova, e é tão grande essa obra! É coisa de Deus. Eu trabalho em um setor onde sou agraciado. Ajudo na parte técnica do portal com toda uma equipe de profissionais; e o conteúdo do cancaonova.com me ajuda a, cada vez mais, manter-me firme nesta decisão. Porque é um dia após o outro. Sei que eu sou um ex-drogado, mas Cristo me dá forças.

Por isso eu peço a você que assiste a este vídeo, você que é pai ou mãe, colabore, ajude, mantenha essa obra de evangelização, porque esse mundo aí fora quer tirar a nossa esperança. Não deixe isso acontecer, porque Jesus Cristo é esperança e há possibilidade, há como mudar. Eu sou prova e testemunho vivo disso.

Muito obrigado! Deus abençoe você.

Ser Canção Nova é bom demais!”

Adair José Sato Comodo
Colaborador da Fundação João Paulo II

Fonte: http://clube.cancaonova.com/materia_.php?id=11958


COMENTÁRIO DO EVANGELHO DE DOMINGO 31/10/2010

outubro 30, 2010

Comentário do Evangelho do 31º Domingo do Tempo Comum Ano C, do dia 31 de Outubro de 2010, feito por Pe. Mateus Maria

Clique no link abaixo

http://nossasenhorademedjugorje.blogspot.com/2010/10/zaqueutenho-necessidade-de-entrar-na.html


PADRE FABIO DE MELO – NÃO MORRER AOS POUCOS

outubro 30, 2010

PAPA BENTO XVI: DEFENDER A VIDA DESDE A CONCEPÇÃO ATÉ A MORTE NATURAL

outubro 30, 2010

S.S. O Papa BENTO XVI.

 

Defender a vida desde
a concepção até a morte natural.

 

28.10.10  – Cidade do Vaticano, – Discurso do Papa aos bispos do Regional Nordeste 5 (formado pelo Estado do Maranhão), em visita ad Limina, recebidos esta manhã, no Vaticano.

Amados Irmãos no Episcopado,

«Para vós, graça e paz da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo» (2 Cor 1, 2). Desejo antes de mais nada agradecer a Deus pelo vosso zelo e dedicação a Cristo e à sua Igreja que cresce no Regional Nordeste 5. Lendo os vossos relatórios, pude dar-me conta dos problemas de caráter religioso e pastoral, além de humano e social, com que deveis medir-vos diariamente. O quadro geral tem as suas sombras, mas tem também sinais de esperança, como Dom Xavier Gilles acaba de referir na saudação que me dirigiu, dando livre curso aos sentimentos de todos vós e do vosso povo.

Como sabeis, nos sucessivos encontros com os diversos Regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, tenho sublinhado diferentes âmbitos e respectivos agentes do multiforme serviço evangelizador e pastoral da Igreja na vossa grande Nação; hoje, gostaria de falar-vos de como a Igreja, na sua missão de fecundar e fermentar a sociedade humana com o Evangelho, ensina ao homem a sua dignidade de filho de Deus e a sua vocação à união com todos os homens, das quais decorrem as exigências da justiça e da paz social, conforme à sabedoria divina.

Entretanto, o dever imediato de trabalhar por uma ordem social justa é próprio dos fiéis leigos, que, como cidadãos livres e responsáveis, se empenham em contribuir para a reta configuração da vida social, no respeito da sua legítima autonomia e da ordem moral natural (cf. Deus caritas est, 29). O vosso dever como Bispos junto com o vosso clero é mediato, enquanto vos compete contribuir para a purificação da razão e o despertar das forças morais necessárias para a construção de uma sociedade justa e fraterna. Quando, porém, os direitos fundamentais da pessoa ou a salvação das almas o exigirem, os pastores têm o grave dever de emitir um juízo moral, mesmo em matérias políticas (cf. GS, 76).

Ao formular esses juízos, os pastores devem levar em conta o valor absoluto daqueles preceitos morais negativos que declaram moralmente inaceitável a escolha de uma determinada ação intrinsecamente má e incompatível com a dignidade da pessoa; tal escolha não pode ser resgatada pela bondade de qualquer fim, intenção, conseqüência ou circunstância. Portanto, seria totalmente falsa e ilusória qualquer defesa dos direitos humanos políticos, econômicos e sociais que não compreendesse a enérgica defesa do direito à vida desde a concepção até à morte natural (cf. Christifideles laici, 38).

Além disso no quadro do empenho pelos mais fracos e os mais indefesos, quem é mais inerme que um nascituro ou um doente em estado vegetativo ou terminal? Quando os projetos políticos contemplam, aberta ou veladamente, a descriminalização do aborto ou da eutanásia, o ideal democrático – que só é verdadeiramente tal quando reconhece e tutela a dignidade de toda a pessoa humana – é atraiçoado nas suas bases (cf. Evangelium vitæ, 74). Portanto, caros Irmãos no episcopado, ao defender a vida «não devemos temer a oposição e a impopularidade, recusando qualquer compromisso e ambigüidade que nos conformem com a mentalidade deste mundo» (ibidem, 82).

Além disso, para melhor ajudar os leigos a viverem o seu empenho cristão e sócio-político de um modo unitário e coerente, é «necessária — como vos disse em Aparecida — uma catequese social e uma adequada formação na doutrina social da Igreja, sendo muito útil para isso o “Compêndio da Doutrina Social da Igreja”» (Discurso inaugural da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, 3). Isto significa também que em determinadas ocasiões, os pastores devem mesmo lembrar a todos os cidadãos o direito, que é também um dever, de usar livremente o próprio voto para a promoção do bem comum (cf. GS, 75).

Neste ponto, política e fé se tocam. A fé tem, sem dúvida, a sua natureza específica de encontro com o Deus vivo que abre novos horizontes muito para além do âmbito próprio da razão. «Com efeito, sem a correção oferecida pela religião até a razão pode tornar-se vítima de ambigüidades, como acontece quando ela é manipulada pela ideologia, ou então aplicada de uma maneira parcial, sem ter em consideração plenamente a dignidade da pessoa humana» (Viagem Apostólica ao Reino Unido, Encontro com as autoridades civis, 17-IX-2010).

Só respeitando, promovendo e ensinando incansavelmente a natureza transcendente da pessoa humana é que uma sociedade pode ser construída. Assim, Deus deve «encontrar lugar também na esfera pública, nomeadamente nas dimensões cultural, social, econômica e particularmente política» (Caritas in veritate, 56). Por isso, amados Irmãos, uno a minha voz à vossa num vivo apelo a favor da educação religiosa, e mais concretamente do ensino confessional e plural da religião, na escola pública do Estado.

Queria ainda recordar que a presença de símbolos religiosos na vida pública é ao mesmo tempo lembrança da transcendência do homem e garantia do seu respeito. Eles têm um valor particular, no caso do Brasil, em que a religião católica é parte integral da sua história. Como não pensar neste momento na imagem de Jesus Cristo com os braços estendidos sobre a baía da Guanabara que representa a hospitalidade e o amor com que o Brasil sempre soube abrir seus braços a homens e mulheres perseguidos e necessitados provenientes de todo o mundo? Foi nessa presença de Jesus na vida brasileira, que eles se integraram harmonicamente na sociedade, contribuindo ao enriquecimento da cultura, ao crescimento econômico e ao espírito de solidariedade e liberdade.

Amados Irmãos, confio à Mãe de Deus e nossa, invocada no Brasil sob o título de Nossa Senhora Aparecida, estes anseios da Igreja Católica na Terra de Santa Cruz e de todos os homens de boa vontade em defesa dos valores da vida humana e da sua transcendência, junto com as alegrias e esperanças, as tristezas e angústias dos homens e mulheres da província eclesiástica do Maranhão. A todos coloco sob a Sua materna proteção, e a vós e ao vosso povo concedo a minha Benção Apostólica.

Fonte: Boletim da Sala de Imprensa da Santa Sé.

Extraído do site: http://www.derradeirasgracas.com/3.%20Papa%20Bento%20XVI/Defender%20a%20vida%20desde%20o%20nascimento%20até%20a%20morte%20natural..htm


O DIVÓRCIO COMEÇA NO CORAÇÃO

outubro 29, 2010

Imagem de Destaque

O divórcio começa no coração

Casais, quebrem a dureza do coração

As relações conjugais estão em crise, pois cada pessoa quer a sua própria felicidade, e os casais, hoje, estão se divorciando por qualquer motivo.

A raíz do divórcio é a “dureza de coração”. Mas hoje Jesus quer falar para as famílias que o divórcio acontece, primeiramente, nos corações dos casais, para depois ir para o papel.

Vou contar-lhes uma história que ouvi, cujo autor é desconhecido:

O homem por detrás do balcão, olhava a rua de forma distraída, enquanto uma garotinha se aproximava da loja, ela amassou o narizinho contra o vidro da vitrina. Os seus olhos da cor do céu, brilharam quando viu determinado objeto. Ela entrou na loja e pediu para ver o colar de turquesas azuis.

– É para minha irmã. Você pode fazer um pacote bem bonito?

O dono da loja olhou desconfiado para a garotinha e lhe perguntou:

– Quanto dinheiro você tem?

Sem hesitar, ela tirou do bolso da saia um lenço todo amarradinho e foi desfazendo os nós. Colocou-o sobre o balcão, e feliz disse:

– Isto dá, não dá? (Eram apenas algumas moedas que ela exibia orgulhosa.)

– Sabe, continuou, eu quero dar este presente para minha irmã mais velha. Desde que morreu nossa mãe, ela cuida da gente e não tem tempo para ela. Hoje é aniversário dela e tenho certeza que ela ficará feliz com o colar que é da cor dos olhos dela.

– O homem foi para o interior da loja. Colocou o colar em um estojo, embrulhou com um vistoso papel vermelho e fez um laço caprichado com uma fita verde.

– Tome! Disse para a garota. Leve com cuidado.

Ela saiu feliz saltitando pela rua abaixo. Ainda não acabara o dia, quando uma linda jovem de cabelos loiros e maravilhosos olhos azuis adentrou a loja. Colocou sobre o balcão o já conhecido embrulho desfeito e indagou:

– Este colar foi comprado aqui?

– Sim senhora.

– E quanto custou?

 Ah! Falou o dono da loja. O preço de qualquer produto da minha loja é sempre um assunto confidencial entre o vendedor e o freguês.

  A moça continuou: – Mas minha irmã somente tinha algumas moedas. E esse colar é verdadeiro, não é? Ela não teria dinheiro para pagar por ele.

O homem tomou o estojo, refez o embrulho com extremo carinho, colocou a fita e o devolveu à jovem.

– Ela pagou o preço mais alto que qualquer pessoa pode pagar. Ela deu tudo que tinha!

O silêncio encheu a pequena loja, e lágrimas rolaram pela face da jovem, enquanto suas mãos tomavam o embrulho. Ela retornava ao lar emocionada…

Você é capaz de tudo pela sua família? Você precisa dar tudo o que tem por ela. Para que você se casou? Por que você está noivo? O que o motiva a se unir a esta mulher ou a este homem?

Esposa, procure tempo para olhar dentro do olho do seu esposo e dizer que o ama. Isso não é coisa de casal “novinho”; isso é característica de família. Espero que ninguém “morra” em sua casa. Espero que você não durma do lado de um cadáver.

Se as coisas estão mal para sua família, opte por andar pelo verdadeiro caminho que é Jesus. Ele grita ao nosso coração: “Sua família é boa, o seu casamento é bom”. Deus acredita na sua família, Deus acredita em você, na sua história. Deixe de ser tonto! Ande pela estrada certa e não se esqueça de que o caminho é Jesus; se você quiser que sua família seja feliz, entregue-a para Ele.

Casais, quebrem a dureza do coração, amem, porque ainda há tempo! Amem seus filhos enquanto há tempo, porque eles vão crescer. Esse é o momento certo, tempo de dar atenção a eles. Quebrem a dureza de coração! Peço-lhes hoje: voltem para suas casas sem medo, o caminho é Jesus.

Há solução para sua família, e ela começa em seu coração. Não se desvie o caminho, pois, você e sua casa são do Senhor”.

Texto produzido a partir da pregação em Jan.2006

Alexandre de Oliveira
Missionário na COmunidade Canção Nova

Fonte: http://www.cancaonova.com/portal/canais/formacao/internas.php?e=12064


PARABÉNS AOS NOVOS ENCONTRISTAS E DIRIGENTES DE CÍRCULO.

outubro 28, 2010

Nós, integrantes do Círculo Azul, batizado de Harmonia Celestial, nascido no 30º ECC do Santuário São Francisco de Assis de Brasília-DF, realizado no ano de 2008, com muita alegria no coração, parabenizamos e damos boas vindas aos novos encontristas e aos novos Dirigentes de Círculos que participaram do 32º Encontro de Casais com Cristo realizado no último final de semana.

Que a paz de Jesus e o amor de Maria estejam sempre com vocês.

PAZ E BEM.

Nossa Senhora da Abadia, rogai por nós.


MARCIO MENDES – TODOS OS BENS E A LIBERTAÇÃO DE TODOS OS MALES.

outubro 27, 2010