PROMESSAS DE JESUS AOS DEVOTOS DA VIA SACRA

fevereiro 25, 2012

PROMESSAS DE JESUS

AOS DEVOTOS DA VIA SACRA

 

Na idade de 18 anos, um jovem espanhol, chamado Estanislau, ingressou ao noviciado, na vida religiosa, este jovem fez os votos de religião que são: O cumprimento dos regramentos; avançar na perfeição cristã e alcançar o amor puro. O mês de outubro de 1926, este irmão se ofereceu a Jesus por intermédio de Maria Santíssima.

Pouco depois de ter feito esta doação heróica de si mesmo, o jovem religioso ficou doente e foi obrigado a descansar. Morreu santamente no mês de março, 1927.

 

Segundo o mestre de noviços, este religioso era uma alma escolhida de Deus; e que recebia mensagens do Céu. Os confessores do jovem, assim como os teólogos, reconheceram estes feitos sobrenaturais. O diretor espiritual do irmão Estanislau lhe havia ordenado escrever todas as promessas transmitidas por Nosso Senhor. Isto seria para o bem espiritual dos que fossem devotos da Via Crucis.

 

As Promessas para os devotos da Via Crucis feitas por Jesus ao irmão Estanislau.

1. Eu concederei tudo quando Me pedirem com fé, durante a Via Crucis.

2. Eu prometo a vida eterna aos que, de vez em quando, se aplicarem a rezar a Via Crucis.

3. Durante a vida, eu lhes acompanharei em todo lugar e terão Minha ajuda especial na hora da morte.


4. Ainda que tiverem mais pecados que as folhas da erva que cresce nos campos, e mais que os grãos de areia do mar, todos serão apagados por meio desta devoção, a Via Crucis. (Importante: Esta devoção não elimina a obrigação de confessar os pecados mortais. Se deve confessar antes de receber a Santa Comunhão.)

5. Os que acostumarem rezar a Via Crucis freqüentemente, terão de uma Glória extraordinária no Céu.

6. Depois da morte, se estes devotos chegarem ao Purgatório, eu os livrarei desse lugar de expiação, na primeira terça-feira ou sexta-feira depois da morte.

7. Eu abençoarei a estas almas cada vez que rezarem a Via Crucis; e minha benção lhes acompanhará em todas partes da terra. Depois da morte, gozarão desta benção no Céu, por toda a eternidade.

8. Na hora da morte, não permitirei que sejam sujeitos a tentação do demônio. Ao espírito maligno lhe tirarei todo o poder sobre estas almas. Assim poderão repousar tranqüilamente em Meus Braços.

9. Se rezam com verdadeiro amor, serão altamente premiados. Quer dizer, converterei a cada uma destas almas em um recipiente vivo, onde Eu irei derramar Minha graça.

10. Fixarei Meus Olhos sobre aquelas almas que rezarem a Via Crucis com freqüência e Minhas mãos estarão sempre abertas para protegê-las.

11. Assim como Eu fui cravado na Cruz, igualmente estarei sempre muito unido aos que Me honram, com a reza freqüente da Via Crucis.

12. Os devotos da Via Crucis nunca se separarão de Mim porque eu lhes darei a graça de jamais cometer um pecado mortal.

13. Na hora da morte, eu lhes consolarei com Minha presença, e iremos juntos ao Céu. A morte será doce para todos os que Me tem honrado durante a vida com a reza da Via Crucis.

14. Para estes devotos da Via Crucis, Minha Alma será um escudo de proteção que sempre lhes prestará o auxilio quando recorram a Mim.

> MEDITAÇÕES DAS ESTAÇÕES DA VIA SACRA.

Fonte: http://www.derradeirasgracas.com/2.%20Segunda%20Página/Orações%20e%20Promessas/PEDIDOS%20DE%20ORAÇÃO%20DE%20NOSSO%20SENHOR%20JESUS%20CRISTO/Promessas%20de%20Jesus%20aos%20devotos%20da%20Via%20sacra.htm


TESTEMUNHO DE HUÊNIA: “EU FUI RESGATADA POR DEUS DO FUNDO DO POÇO”

fevereiro 25, 2012

REDESCOBRIR A ORAÇÃO

fevereiro 25, 2012

Imagem de Destaque

Redescobrir a oração

Exercício para alcançar qualidade de vida
A oração é um exercício fundamental na busca pela qualidade de vida. Nas indicações que não podem faltar, especialmente para a vida cristã, estão a prática e o cultivo disciplinado da oração. É um exercício que tem força incomparável em relação às diversas abordagens de autoajuda, como livros e DVDs, muito comuns na atualidade.
A crise existencial contemporânea, em particular na cultura ocidental, precisa redescobrir o caminho da oração para uma vida de qualidade. Equivocado é o entendimento que pensa a oração como prática exclusiva de devotos. A oração guarda uma dimensão essencial da vida cristã. Cultivar essa prática é um segredo fundamental para reconquistar a inteireza da própria vida e fecundar o sentido que a sustenta.É muito oportuno incluir entre as diversificadas opiniões, junto aos variados assuntos discutidos cotidianamente, o que significa e o que se pode alcançar pelo caminho da oração. Perdê-la como força e não adotá-la como prática diária é abrir mão de uma alavanca com força para mover mundos. A fé cristã, por meio da teologia, tem por tradição abordar a importância da oração ao analisar a sua estrutura fundamental, seus elementos constitutivos, suas formas e os modos de sua experiência. Trata-se de uma importante ciência e de uma prática rica para fecundar a fé.

A oração tem propriedades para qualificar a vida pessoal, familiar, social e comunitária. Muitos podem desconhecer, mas ela [oração] pode ser um laço irrenunciável com o compromisso ético. É prática dos devotos, mas também um estímulo à cidadania. Ao contrário de ser fuga das dificuldades, é clarividência e sabedoria, tão necessários no enfrentamento dos problemas. Na verdade, a prece faz brotar uma fonte interior de decisões, baseadas em valores com força qualitativa.

A oração, como prática e como inquestionável demanda, no entanto, passa por uma crise por razões socioculturais. Aliás, uma crise numa cultura ocidental que nunca foi radicalmente orante. O secularismo e a mentalidade racionalista se confrontam com aspectos importantes da vida oracional, como a intercessão e a contemplação. Diante desse cenário, é importante sublinhar: paga-se um preço muito alto quando se configura o caminho existencial distante da dimensão transcendente. O distanciamento, o desconhecimento e a tendência de banir o divino como referencial produzem vazios que atingem frontalmente a existência.

É longo o caminho para acertar a compreensão e fazer com que todos percebam o horizonte rico e indispensável da oração. Faz falta a clareza de que existem situações e problemas que a política, a ciência e a técnica não podem oferecer soluções, como o sentido da vida e a experiência de uma felicidade duradoura. A oração é caminho singular. É, pois, indispensável aprender a orar e cultivar a disciplina diária da oração. Trata-se de um caminhar em direção às raízes e ao essencial. Nesse caminho está um remédio indispensável para o mundo atual, que proporciona mais fraternidade e experiências de solidariedade.

A lógica dominante da sociedade contemporânea está na contramão dessa busca. Os mecanismos que regem o consumismo e a autossuficiência humana provocam mortes. Sozinho, o progresso tecnológico, tão necessário e admirável, produz ambiguidades fatais e inúmeras contradições. Orar desperta uma consciência própria de autenticidade. Impulsiona à experiência humilde do próprio limite e inspira a conversão. É recomendação cristã determinante dos rumos da vida e de sua qualidade. A Igreja Católica tem verdadeiros tesouros, na forma de tratados, de estudos, de reflexões, e de indicações para o cultivo da oração, que remetem à origem do Cristianismo, quando os próprios discípulos pediram a Jesus: “Ensina-nos a orar”. É uma tarefa missionária essencial na fé, uma aprendizagem necessária, um cultivo para novas respostas na qualificação pessoal e do tecido cultural sustentador da vida em sociedade.

Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte

24/02/2012 

Fonte: http://www.cancaonova.com/portal/canais/formacao/internas.php?e=12681