PADRE LÉO: FAÇA SUA PARTE, O IMPOSSÍVEL DEUS FAZ ACONTECER

agosto 31, 2018

Anúncios

VOCÊ SABE POR QUE SETEMBRO É O MÊS DA BÍBLIA?

agosto 31, 2018

VOCÊ SABE POR QUE SETEMBRO É O MÊS DA BÍBLIA?

Todo católico sabe que setembro é o mês dedicado à Bíblia, mas você sabe por que foi feita essa escolha?

Em 1971, a Arquidiocese de Belo Horizonte (MG) propôs uma ação bíblica para todos os fiéis, leigos e consagrados, por ocasião da comemoração de seus 50 anos de existência. O período escolhido para os estudos bíblicos foi setembro, mês em que se celebra a memória de São Jerônimo, grande biblista na história da Igreja Católica.

shutterstock

Sabendo da ação da arquidiocese, o Serviço de Animação Bíblica das Irmãs Paulinas passou a propagar, todos os anos seguintes, a celebração do mês dedicado à Bíblia. Com a devoção propagada e os grupos de estudo bíblico se multiplicando, a CNBB passou a assumir a data comemorativa e instituiu a celebração por todo o país.

Atualmente, além do Brasil, vários países da América Latina e África dedicam o mês de setembro à celebração da Bíblia.

São Jerônimo
 
No ano 382, Pe. Jerônimo foi chamado pelo papa Dâmaso para ser seu secretário particular. Já em Roma, recebeu a incumbência de traduzir a Bíblia, do grego e do hebraico para o latim. Neste trabalho, ele dedicou quase toda sua vida. O conjunto final de sua tradução da Bíblia, em latim, se chamou “Vulgata” e se tornou oficial no Concílio de Trento.
Desde 1947, já se celebra o Dia da Bíblia em 30/09, data de falecimento do santo.

– Saiba mais sobre a vida de São Jerônimo

Fonte: http://www.a12.com/jovensdemaria/artigos/crescendo-na-fe/por-que-setembro-e-o-mes-da-biblia

 


PADRE CHRYSTIAN SHANKAR: AS LIÇÕES DE MARIA PARA NOSSA FAMÍLIA

agosto 30, 2018


COMO VENCER AS PAIXÕES DA CARNE?

agosto 30, 2018

COMO VENCER AS PAIXÕES DA CARNE?

Catequese - Como vencer as paixões da carne?

Os cristãos precisam lutar contra as paixões da carne

Você pode se perguntar: “Que diferença faz ser cristão?”. O cristão é cheio do Espírito Santo, por isso ele é diferente das outras pessoas; e só poderia ser assim. O cristão não é mais deste mundo, não porque quer, mas porque Jesus não é deste mundo.

Você, cristão, é destinado a este mundo, enviado como sal, como luz. Você vive neste mundo, mas não é dele, assim como o sal não é massa, assim como a luz não é treva. Você não é deste mundo. E por ser diferente, as pessoas o perseguem como Jesus e os apóstolos foram perseguidos.

Essa é uma diferença. “Que diferença faz ser cristão?” Só aqueles que experimentaram podem saber. Os cristãos não vivem mais na carne, mas no Espírito. E porque vivem no Espírito, as obras da carne vão morrendo, e neles as obras do Espírito vão vivificando. Confira o que diz a Palavra de Deus em Gálatas 5, 16-25 sobre isso.

Entenda o termo carne

Essa é a diferença. O termo “carne” é equivalente à natureza humana. Sua natureza envenenada, corrompida por causa do pecado, que sozinha produz esses frutos narrados no versículo 19 de Gálatas 5: libertinagem, impureza, devassidão, idolatria, magia, ódio, discórdia, ciúme, cólera, rivalidade, facções, inveja, bebedeiras, orgias e outras coisas semelhantes. É isso que a natureza humana produz, porque foi envenenada, corrompida pelo pecado. O próprio Jesus afirma: “De fato, é do coração que provêm más intenções, homicídios, adultérios, devassidão, roubos, falsos testemunhos, injúrias” (Mt 15,19). É do coração do homem que provém tudo isso.

Por essa razão, você tem de se convencer que sua natureza humana foi corrompida pelo pecado. Ela, por si só, produz esses frutos. É por isso que a Palavra de Deus lhe diz: “(…) andai sob o impulso do Espírito e não façais mais o que a carne deseja. Pois a carne, em seus desejos, opõe-se ao Espírito e o Espírito à carne; entre eles há antagonismo; por isso não fazeis o que quereis” (Gálatas 5,16-17).

Cuidado com a ociosidade

Não se pode deixar a natureza humana livre, fazendo o que quer. Atente-se para esta comparação: não é verdade que, num terreno, é muito fácil crescer mato? Você tem de lidar muito para acabar com essas ervas daninhas, para que possa fazer um canteiro e plantar verduras que lhe sejam úteis. O mato, porém, nem é necessário ser plantado. Se não se tomar cuidado, ele cresce no meio das hortaliças que você plantou e acaba por sufocá-las. O mesmo acontece com nossa natureza humana. Livre, ela é como o mato. Por essa razão, precisamos crucificar nossa carne com suas paixões e seus desejos. Há muitos cristãos que pensam que isso é exagero, é trucidar-se.

Repare no versículo 24 de Gálatas: “Os que pertencem o Cristo crucificaram a carne com suas paixões e desejos”.

Como vencer os impulsos da paixão?

Se você não pegar a “enxada” hoje, amanhã e depois de amanhã, para cortar o ‘mato’ de sua vida, ele vai crescer e todos os frutos da carne vão florescer em você: libertinagem, impureza, devassidão, idolatria, magia, ódios, discórdia, ciúme, cólera, rivalidades, dissensões, facções, inveja, bebedeiras, orgias e outras coisas semelhantes. Por isso, a vida cristã é um contínuo combate. Não apenas um combate exterior, mas principalmente interior. É preciso combater nossa natureza humana, não a deixar livre; ao contrário, devemos podá-la e crucificá-la.

Como vencer os impulsos da paixão?

A Palavra de Deus nos diz, no versículo 16, dessa passagem bíblica: “Andai sob impulso do Espírito e não façais mais o que a carne deseja”. Devemos encher-nos do Espírito Santo, permanecer embriagados do Espírito e dar livre curso, livre acesso a Ele, para que produza todos os Seus frutos em nós, os quais estão muito bem expressos no versículo 22: “Mas eis o fruto do Espírito: amor, alegria, paz, paciência, benevolência, fé, doçura, domínio de si; contra tais coisas não há lei”.

O fruto do Espírito Santo é a caridade, ou seja, o amor. Deste provêm todos os outros frutos: alegria, paz, paciência, bondade, benevolência (que também se diz delicadeza), fé, doçura (que também se diz mansidão), domínio de si. Quanto mais deixarmos que o Espírito Santo produza os frutos d’’Ele em nós, tanto mais os frutos da carne irão desaparecer.

“Os que pertencem a Cristo crucificaram a carne com suas paixões e desejos”. Se você vive pelo Espírito, ande também de acordo com o Espírito. Essa é a diferença. Vale a pena ser cristão!

Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova

Fonte: http://catequesecatolica.com.br/site/como-vencer-as-paixoes-da-carne/

 


PADRE CHRYSTIAN SHANKAR: AS 4 ATITUDES PARA ALCANÇAR A BENÇÃO DE DEUS!

agosto 29, 2018


POR QUE ESTUDAR SOBRE A FÉ?

agosto 29, 2018

POR QUE ESTUDAR SOBRE A FÉ?

Santificai a Cristo, o Senhor, em vossos corações, estando sempre prontos para dar razão da vossa esperança a todo aquele que vos pede (1Pe 3, 15).

Com essas palavras, São Pedro nos deixa claro como é importante saber falar da nossa fé com propriedade. Para isso, é fundamental que nós católicos tenhamos a mentalidade de estar sempre nos formando em nossa fé.

O mundo de hoje exige cada vez mais dos cristãos uma resposta coerente e profunda a respeito do porque acreditam. Isso é muito bom, mas muitas vezes não acompanhamos essa demanda e acabamos por não saber defender bem a nossa fé.

shutterstock

Um exemplo muito bom é a exortação apostólica do Papa Francisco, Amoris Laetitia, sobre o amor na família. É um tema muito atual e importante, tanto pelo que representa em si mesmo, a dignidade da família, como também pelas calorosas discussões que se levantam hoje mundo afora com respeito a novas modalidades de família, os divorciados que voltam a casar, etc. No documento, o Papa aborda essas questões e, com certeza, ilumina a nossa fé, deixando-a mais formada.

Mas, quantos de nós vão realmente procurar saber o que está no texto? É muito fácil dizer que, se não entendo algo, é porque está errado e deveria mudar. Uma atitude mais cristã seria buscar saber a razão de a Igreja estar dizendo aquilo.

Outro ponto de vista que precisa ser levado em consideração quando falamos sobre a formação na fé, é como isso é importante para o próprio caminho espiritual. Não precisamos dar razão de nossa esperança apenas para os demais; antes disso, é preciso dar razão a mim mesmo.

Talvez, um bom caminho para começar a aprofundar na nossa fé seja dar uma olhada no Catecismo da Igreja Católica. Ali estão as verdades fundamentais da nossa fé, bem explicadas. A partir daí, podemos identificar temas de interesse, seja porque não o entendemos bem (e gostaríamos de entender), ou simplesmente porque tal tema me chama a atenção e gostaria de aprofundar no conhecimento dele.

Dica de Estudo!

shutterstock

Hoje, com a Internet, é relativamente fácil encontrar materiais para aprofundar na nossa fé (por exemplo, existe um app do Catecismo!). Em vários lugares também podemos encontrar cursos de teologia para leigos que, justamente, possuem esse intuito de nos ajudar a ter uma fé melhor formada. O próprio site do Jovens de Maria possui uma quantidade muito grande de artigos de formação que podem ajudar.

É preciso, no entanto, tomar cuidado quando se busca algo pela internet e é sempre bom “perder um tempo” para verificar se o site é realmente confiável, católico.

Estejamos prontos para dar razão da nossa fé, tanto para nós mesmos quanto para os demais. A nossa fé é muito bonita e quanto mais a conhecemos, mais nos apaixonamos por ela e por Deus. Uma fé malformada está em perigo de cair em certas ideologias que podem – se não tomamos cuidado – nos afastar da Igreja e de Deus.

A nossa formação na fé é uma parte da vida cristã que não pode ser deixada de lado. Por isso, mãos à obra, vamos nos formar e informar!

ESCRITO POR
Irmão João Antônio Johas (Redação A12.com)

João Antônio Johas – Jovens de MariaLicenciando em Filosofia pela Universidade Católica de Petrópolis, Pós-graduando em Antropologia Cristã pela Universidade Católica San Pablo em Arequipa, Peru.

Fonte: http://www.a12.com/jovensdemaria/artigos/crescendo-na-fe/por-que-estudar-sobre-a-fe

 


PADRE PAULO RICARDO: DESCUBRA SUA VOCAÇÃO

agosto 28, 2018