PADRE FABIO DE MELO: O DESAFIO DE VIVER HOJE

setembro 29, 2018

Anúncios

3 ARMAS FORTES DE SÃO MIGUEL ARCANJO

setembro 29, 2018

3 ARMAS FORTES DE SÃO MIGUEL ARCANJO

No período de 15 de agosto a 29 de setembro, é celebrada a Festa de São Miguel Arcanjo. Veja três ferramentas fortes e interessantes para você vivenciar bem esta época.

São Miguel Arcanjo

1. Faça a Oração 

São muitas versões da Oração de São Miguel Arcanjo; porém a mais conhecida é a ‘Poderosa Oração de São Miguel Arcanjo’ que, nos tempos do Papa Leão XII, era rezada depois de cada missa e ficou conhecida como “O Pequeno Exorcismo” .

“São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate,
sede o nosso refúgio contra as maldades e ciladas do demônio.
Ordene-lhe Deus, instantemente o pedimos,
e vós, príncipe da milícia celeste, pela virtude divina,
precipitai no inferno a satanás e aos outros espíritos malignos,
que andam pelo mundo para perder as almas.
Amém”.

2. Reze a Ladainha de São Miguel Arcanjo

Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.

Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.

Pai Celeste, que sois Deus, tende piedade de nós.
Filho, Redentor do Mundo, que sois Deus, tende piedade de nós.
Espírito Santo, que sois Deus, tende piedade de nós.
Trindade Santa, que sois um único Deus, tende piedade de nós.
Santa Maria, Rainha dos Anjos, rogai por nós.

São Miguel, rogai por nós.
São Miguel, cheio da graça de Deus, rogai por nós.
São Miguel, perfeito adorador do Verbo Divino, rogai por nós.
São Miguel, coroado de honra e de glória, rogai por nós.

São Miguel, poderosíssimo Príncipe dos exércitos do Senhor, rogai por nós.
São Miguel, porta-estandarte da Santíssima Trindade, rogai por nós.
São Miguel, guardião do Paraíso, rogai por nós.
São Miguel, guia e consolador do povo israelita, rogai por nós.

São Miguel, esplendor e fortaleza da Igreja militante, rogai por nós.
São Miguel, honra e alegria da Igreja triunfante, rogai por nós.
São Miguel, Luz dos Anjos, rogai por nós.
São Miguel, baluarte dos Cristãos, rogai por nós.

São Miguel, força daqueles que combatem pelo estandarte da Cruz, rogai por nós.
São Miguel, luz e confiança das almas no último momento da vida, rogai por nós.
São Miguel, socorro muito certo, rogai por nós.
São Miguel, nosso auxílio em todas as adversidades, rogai por nós.

São Miguel, arauto da sentença eterna, rogai por nós.
São Miguel, consolador das almas que estão no Purgatório, rogai por nós.
São Miguel, a quem o Senhor incumbiu de receber as almas que estão no Purgatório, rogai por nós.

São Miguel, nosso Príncipe, rogai por nós.
São Miguel, nosso Advogado, rogai por nós.

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, perdoai-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, atendei-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.

Rogai por nós, ó glorioso São Miguel, Príncipe da Igreja de Cristo,
para que sejamos dignos de Suas promessas.
Amém!

3. Consagre-se a São Miguel Arcanjo

Oh! Príncipe nobilíssimo dos Anjos,
valoroso guerreiro do Altíssimo,
zeloso defensor da glória do Senhor,
terror do espíritos rebeldes,
amor e delícia de todos os Anjos justos,
meu diletíssimo São Miguel Arcanjo,
desejando eu fazer parte do número dos vossos devotos e servos,
a vós hoje me consagro,
me dou, me ofereço e ponho-me a mim próprio,
a minha família e tudo o que me pertence,
debaixo da vossa poderosíssima proteção.

É pequena a oferta do meu serviço,
sendo como sou um miserável pecador,
mas vós engrandecereis o afeto do meu coração;
Recordai-vos que, de hoje em diante,
estou debaixo do vosso sustento
e deveis assistir-me em toda a minha vida
e obter-me o perdão dos meus muitos e graves pecados,
a graça de amar a Deus de todo coração,
ao meu querido Salvador Jesus Cristo
e a minha Mãe Maria Santíssima,
obtende-me aqueles auxílios
que me são necessários para obter a coroa da eterna glória.

Defendei-me dos inimigos da alma,
especialmente na hora da morte.
Vinde, oh! príncipe gloriosíssimo,
assistir-me na última luta e,
com a vossa arma poderosa, lançai para longe,
precipitando nos abismos do inferno,
aquele anjo quebrador de promessas e soberbo
que um dia prostrastes no combate no céu.

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate
para que não pereçamos no supremo juízo.
Amém.

Fonte: http://www.a12.com/redacaoa12/igreja/3-armas-fortes-de-sao-miguel-arcanjo

 


PROFESSOR FELIPE AQUINO: PARA SER FELIZ É PRECISO TER CORAGEM DE VENCER A SI MESMO

setembro 27, 2018


CARTA AOS PAIS QUE NÃO DESISTEM DE LEVAR SEUS FILHOS BAGUNCEIROS À MISSA

setembro 27, 2018

CARTA AOS PAIS QUE NÃO DESISTEM DE LEVAR SEUS FILHOS BAGUNCEIROS À MISSA

Teus filhos também não param um segundo durante a Missa? Calma, pois Cristo tem algo importantíssimo para te dizer

Caros pais exaustos e desanimados,

Seus filhos são terríveis na Missa. Caóticos, desobedientes e arteiros – semana após semana. É como se um grande holofote estivesse aceso sobre vocês o tempo todo.

Mas eu sei o que vocês passam. Eu comecei a ter medo dos domingos. Nós tentamos de tudo. Ir à Missa mais cedo, mais tarde, dar explicações sussurradas, fazer ameaças sussurradas, sentar na frente, sentar atrás… Talvez alguns dos truques tenham ajudado, mas a verdade é que ninguém sai da igreja sem gritar, sem fazer uma corrida louca pelo altar ou sabe lá Deus o quê.

Apesar de tudo, toda semana eu e minha família barulhenta e caótica estamos lá (no fundo), atrapalhando e distraindo todo mundo e nos sujeitando ao julgamento de um grande número de pessoas que, talvez, não entendam como é difícil ensinar uma criança a ficar sentada e em em silêncio por uma hora. Parece insano. Ainda assim, vestimos nossas roupas e colocamos nossos corpos sob aquele teto, exatamente como a Igreja Mãe nos pede.

Eu quero que vocês saibam que, se isso também acontece com vocês, tudo bem. Cristo tinha algo muito importante a dizer sobre pessoas como nós:

Quando Jesus olhou para cima, viu algumas pessoas ricas depositando muitas ofertas no cofre do templo e notou uma pobre viúva colocando apenas duas pequenas moedas. Ele disse: “Em verdade vos digo: esta pobre viúva pôs mais do que os outros. Pois todos aqueles lançaram nas ofertas de Deus o que lhes sobra; esta, porém, deu, da sua indigência, tudo o que lhe restava para o sustento” (Lucas 21, 1-4)

Não é exatamente isso que estamos fazendo? Estamos dando literalmente tudo o que temos, obedecendo ao pedido da Igreja de ir à Missa dominical. Vergonha, infelizmente, não é uma razão suficiente para ficar em casa. Para o mundo exterior, parece que a gente está fazendo o mínimo. Sim, nós entramos na igreja. Mas estamos nos concentrando? Estamos tendo uma experiência espiritual? Nós conseguimos ouvir uma única palavra do Evangelho? Nós (e Cristo) somos os únicos que sabem o quanto estamos realmente doando.

Assim como as duas pequenas moedas da mulher na caixa de coleta parecem nada em comparação com a gigantesca sacola de ouro do rico, nossa contribuição parece tão pequena que alguém poderia se perguntar se não nos incomodamos com isso. Por que ir à Missa, se você vai passar o tempo todo controlando as crianças? Mas Cristo está lá para nos lembrar que ele não vê como o resto do mundo vê.

Muito frequentemente, deixo a Missa me sentindo fracassada. Eu nem consigo acompanhar a celebração, e saio tão rápido que até me esqueço de fazer a genuflexão. Que tipo de católico eu sou? Se é assim que vocês se sentem também, não se esqueçam: quem tem filhos pequenos, crianças com necessidades especiais ou alguém que requeira a sua atenção na Missa não consegue se ajoelhar e ouvir com atenção. E esse é um tipo único de pobreza. Nós, na nossa pobreza, realmente damos tudo o que temos, apenas fazendo o melhor que podemos. Mesmo que o nosso melhor seja apenas aparecer por lá.

Então não parem. E por favor, não se preocupem muito com a aparência da sua família. Mesmo que não seja fácil, continuem fazendo tudo da mesma forma. E saibam que Deus vê o quão valioso é o sacrifício que vocês fazem.

Fonte: https://pt.aleteia.org/2018/07/24/carta-aos-pais-que-nao-desistiram-de-levar-seus-filhos-bagunceiros-a-missa/

 


ONDE E QUANDO MORREU MARIA

setembro 26, 2018


A VIDA CRISTÃ DEVE SER CONSCIENTE, RESPONSÁVEL E A SERVIÇO DA SOCIEDADE

setembro 26, 2018

A VIDA CRISTÃ DEVE SER CONSCIENTE, RESPONSÁVEL E A SERVIÇO DA SOCIEDADE

 

Compromissos da vida cristã

A vida cristã se desenvolve dentro da realidade do mundo e do tempo em que vivemos, com todos os desafios que lhe são próprios. Nos próximos dias, a população brasileira, e nós juntamente com todos, estaremos exercendo o direito e o dever do voto. Não quer dizer que todos os problemas serão resolvidos com uma eleição, mas podemos progredir quanto à participação, à responsabilidade e os possíveis resultados. Esperamos encontrar nosso país e nossos estados mais amadurecidos ao final do processo eleitoral em curso.

Os discípulos de Jesus têm grande responsabilidade por terem recebido as informações e a formação necessárias, ao beberem na fonte inesgotável da Palavra de Deus e da Doutrina Social da Igreja, com os valores que podem orientar suas escolhas. Se abrirmos os Evangelhos, veremos como a primeira geração de cristãos, com homens e mulheres vindos de extratos muito simples da sociedade, passou pela escola do próprio Senhor Jesus Cristo.

A vida cristã deve ser consciente, responsável e a serviço da sociedade

Foto ilustrativa: Sami Sert by Getty Images

Uma das grandes lições oferecidas pelo Senhor, com suas palavras e gestos, que culminaram com a entrega total de sua vida, é aquela do espírito de serviço. O Evangelho nos descreve o quanto os discípulos tiveram que aprender. A mãe dos filhos de Zebedeu (Cf. Mt 20,20-21) veio ao encontro de Jesus, acompanhada dos dois filhos, pedindo um posto de importância, de modo muito semelhante às muitas solicitações de cargos e empregos, como vemos nos dias de campanha eleitoral. E o texto proclamado na Igreja neste final de semana (Mc 9,30-37) relata a discussão entre os discípulos para verem quem era o maior. A repreensão feita pelo Senhor oferece ensinamentos que percorrem os séculos.

O Evangelho amplia o horizonte

Se todos os pais e mães de família têm o direito e o dever e buscar o melhor para os filhos, é necessário purificar os critérios e as práticas com que agem em busca de tais objetivos. Não é difícil perceber o quanto passam de geração em geração, por toda parte em nosso país, as formas tantas vezes espúrias para manter o poder e a riqueza nas mãos de poucas pessoas. E infelizmente estas se tornam detentoras de controle sobre pessoas e consciências.

O que pode purificar tais práticas é o conhecimento e a prática dos princípios do ensinamento social da Igreja. Um deles, cuja raridade assusta quando se vê a prática administrativa corrente, é sentido do bem comum. Este deve se sobrepor aos interesses individuais ou grupais e mesmo familiares, quando alguém pretende um cargo público. E serve também como critério para avaliar as possíveis pretensões de quem se candidata a algum cargo público. É bom observar que quem pensa no bem comum amplia seus horizontes e consegue enxergar longe, lá “no fim da linha”, onde se encontram os mais pobres, frágeis e marginalizados.

Um olhar de tal qualidade conseguirá até envolver, em sua prática de presença na sociedade, as pessoas que estiverem no meio do caminho, que poderão, inclusive, deixar-se contagiar por novas práticas! O Evangelho amplia o horizonte, com a provocante proposta de buscar o último lugar!

O último lugar como ideal

Aquele que é o Filho de Deus veio para servir e não parassem servido, tomou a iniciativa de ir ao encontro dos últimos da sociedade, lavou os pés de seus discípulos e recomendou que todos fizessem o mesmo, o que vale também para a nossa geração. Vale a pena olhar ao nosso redor para descobrir homens e mulheres de todas as idades que primam pela boa vontade e pelo espírito de serviço, e o fazem com absoluta discrição.

Conheço pessoas capazes de distribuir recursos que promovem o próximo, sem criar dependências, de modo que só no Céu poderemos saber quanta gente faz o bem espiritual e materialmente de forma simples e generosa. Um diretor de escola formou inúmeros jovens através de bolsas de estudo, sendo que seus próprios filhos só o souberam após a morte desse campeão de generosidade e silêncio!

O último lugar como ideal! Que poderosa revolução pacífica se revela aqui. Buscar aquilo que nos custa, o que é mais exigente! Imaginemos administradores que comecem a priorizar as periferias de suas cidades, que ofereçam primeiro serviços aos mais pobres, invertendo as tendências existentes. Temos o direito de sonhar, mas temos o dever de escolher melhor nas eleições, descobrindo pessoas que, mesmo sem serem perfeitas, se aproximam dos ideais do Evangelho. Como a Igreja têm insistido, é bom verificar se as pessoas que a nós se apresentam têm pelo menos um pouco das práticas propostas pelo ensino social da Igreja.

Jesus não se contentou com o ensinamento, mas acolheu, a modo de exemplo, uma criança: “Em seguida, pegou uma criança, colocou-a no meio deles, e abraçando-a, disse: ‘Quem acolher em meu nome uma destas crianças, é a mim que estará acolhendo. E quem me acolhe, está acolhendo, não a mim, mas àquele que me enviou’” (Mc 9,36-37). Uma sociedade que se preze há de evoluir no trato das crianças, sem o qual o futuro fica decididamente comprometido.

Cristãos a serviço da sociedade

A Igreja Católica recebeu uma missão privilegiada quando surgiu e se consolidou a Pastoral da Criança. As práticas de líderes da Pastoral já contagiaram positivamente outros setores da sociedade. Dela nasceram tantas propostas de cuidados com as crianças, assim como se ampliou o arco de lições sobre alimentação, higiene, cuidados básicos de saúde. E a partir da Pastoral da Criança, veio à tona justamente o outro extremo, a Pastoral da Pessoa Idosa, também recheada de propostas cujos frutos se multiplicam!

Como sabemos que a caridade não vai passar, temos a certeza de que, a partir do Evangelho e da Doutrina Social da Igreja, cuja fonte é justamente o Evangelho, a sabedoria, dom do Espírito Santo, ilumina a prática dos cristãos, inclusive aqueles que se sentem chamados ao exercício do serviço político.

Nos próximos dias, redobremos nossas práticas de oração pela nossa pátria. Rezemos para que todos os eleitores se sintam responsáveis no exercício de seu dever do voto, inclusive escapando das tentações da omissão, do voto irresponsável ou do chamado voto útil, que não tem nada de consciente, ao buscar apenas a satisfação da vitória. Consciência e responsabilidade, iluminados todos pela força do Espírito Santo.

Rezemos:

Ó Deus, que de modo admirável dispondes todas as coisas, recebei benigno as preces que vos apresentamos pela nossa pátria, para que, pela sabedoria dos governantes e pela honestidade dos cidadãos, firmem-se a concórdia e a justiça, bem como se alcance na paz a perpétua prosperidade. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que convosco vive e reina na unidade do Espírito Santo, Deus, por todos os séculos dos séculos. Amém.

 

Dom Alberto Taveira Corrêa

Dom Alberto Taveira foi Reitor do Seminário Provincial Coração Eucarístico de Jesus em Belo Horizonte. Na Arquidiocese de Belo Horizonte foi ainda vigário Episcopal para a Pastoral e Professor de Liturgia na PUC-MG. Em Brasília, assumiu a coordenação do Vicariato Sul da Arquidiocese, além das diversas atividades de Bispo Auxiliar, entre outras. No dia 30 de dezembro de 2009, foi nomeado Arcebispo da Arquidiocese de Belém – PA.

Fonte: https://formacao.cancaonova.com/atualidade/sociedade/vida-crista-deve-ser-consciente-responsavel-e-servico-da-sociedade/

 


FREI GILSON: MARIA MÃE DA IGREJA

setembro 25, 2018